Com um desempenho muito aquém da sua grandiosidade e tradição, o Coritiba deixou escapar domingo, no Couto Pereira o título do primeiro turno do Campeonato Paranaense, ao perder nos pênaltis para o Toledo, a disputa do troféu Barcímio Sicupira. Foi a segunda derrota expressiva nestes últimos anos de baixo desempenho nas competições que disputa. Em 3 de maio de 2015 o Coritiba já havia perdido o título paranaense em disputa contra o Operário de Ponta Grossa, dentro do Couto Pereira. Agora o vexame se repete e foi o Toledo, com poucos méritos, que chegou ao título.

A disputa foi para os pênaltis, depois de um empate em 1×1 em jogo de raros lances para entusiasmar o torcedor. Uma partida truncada e repleta de lances de puro amadorismo. Tanto que a decisão nos pênaltis apresentou um triste resultado de 2×2 na sequência de dez cobranças, ou chutadas fora ou defendida pelos goleiros. Na disputa alternada novo erro do Coritiba, que desperdiçou nas mãos do goleiro André Luiz e conclusão de Eduardinho, que deu o título para o Toledo.

Desde 1980, quando o Cascavel dividiu com o Colorado o título paranaense, uma equipe do Oeste do Paraná chegava a uma decisão paranaense. O Coritiba começa agora uma nova etapa, com a contratação do inexpressivo técnico Umberto Louzer para comandar o time no segundo turno e tentar melhorar seu desempenho em disputas oficiais. O maior vencedor paranaense de todos os tempos, o Coritiba tem ainda pela frente a série B do Campeonato Brasileiro a partir de abril.