Rubem de Freitas Novaes deve ser o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ele é amigo direto de Paulo Guedes, futuro superministro da Economia. Tem no currículo, entre outras coisas o cargo de professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), é PhD em Economia pela Universidade de Chicago, nos Estados Unidos.

Já foi diretor do BNDES e presidente do Sebrae e comunga das ideias e da missão econômica do novo governo, que pretende realizar várias privatizações. A ordem é uma desestatização ampla, geral e irrestrita. O BNDES foi a chave do processo de desestatização no governo Fernando Henrique Cardoso.

Diante das desconfianças empresariais e políticas quanto ao tempo de duração do relacionamento entre Paulo Guedes e o futuro presidente Jair Bolsonaro, amigos do novo governo creem que vai errar quem apostar na separação dos dois. A relação é excelente e Guedes tem ampla carta branca para tocar a área econômica.