O que se espera do novo governador do Paraná, Ratinho Júnior? Ele mesmo dá o tom do seu mandato no comando do Estado: “o Paraná tem que fazer um encontro com a verdade”.

Ele destaca como fundamental o planejamento. Quer uma gestão pública austera, eliminando os desperdícios e garantindo os investimentos em áreas prioritárias como saúde, educação, segurança e infraestrutura.

O novo governador já mostrou que seu objetivo é enxugar a máquina do estado e de aumentar a eficiência das ações, na eliminação de gastos supérfluos que ele chamou de “regalias monárquicas”. Ratinho Júnior reconhece que o cidadão que paga impostos não pode arcar com essas mordomias.

Uma de suas citações foi sobre a aposentadoria de governadores. “Não é mais possível quem assume o governo por seis ou oito meses ir pra casa com um salário de R$ 35 mil pago pelos paranaenses”.

Sobre sua juventude e pouca experiência, foi enfático: “Não se trata exclusivamente de pessoas, mas de uma mentalidade nova, um modelo de gestão novo.

Para o jovem governador “será novo porque não terá desperdícios, terá um programa amplo de combate à corrupção e o respeito ao cidadão e aos municípios com o uso correto do dinheiro público.”

E completou: “Isso é novo na política do Paraná e do Brasil. O estado não pode continuar sendo um privilégio para as mesmas famílias que estão se revezando no poder há 30, 40 anos”.