Estamos chegando no Carnaval, onde os blocos são imprescindíveis. Mas no Senado Federal o “Bloco Parlamentar da Resistência Democrática”, liderado pelo Partido dos Trabalhadores, teve uma adesão inusitada.

Trata-se do Partido Republicano da Ordem Social (Pros), que tem nas suas fileiras três representantes no Senado. Um deles é exatamente o ex-presidente Fernando Collor de Mello, que há poucos dias estava de abraços e afagos com o presidente Jair Bolsonaro. Aquele mesmo da frase famosa: “Não me deixem só!”

Além do apoio eleitoral, teve peso na disputa uma questão envolvendo a senadora Zenaide Maia (Pros-RN) – que foi escolhida como vice-líder do bloco e tem histórico de aliança com os petistas.