Começa a transição de governo. Hoje o ministro Eliseu Padiha, da Casa Civil do presidente Temer, recebe o futuro titular da pasta, o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que foi escolhido pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro.
O novo presidente só chega em Brasília na próxima semana para participar dos trabalhos de transição. Uma equipe de até 50 pessoas está sendo definido para se inteirar da passagem de comando.
Bolsonaro já acenou que vai reduzir de 29 para 16 ou até menos, o número dos ministérios, criando então superministérios, como é o caso do novo Ministério da Economia, que englobará no mínimo três das atuais pastas, Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio. Está confirmada também a união entre os ministérios da Agricultura e Meio Ambiente, apesar da rejeição dos ambientalistas. Outros dois ministérios que podem ser fundidos são os da Educação e da Cultura.
Bolsonaro já se reuniu, com os assessores para definir as prioridades e nomes que vão compor sua futura equipe. Com a posse marcada para 1º de janeiro, ele quer acelerar alguns temas, como a reforma da Previdência, que está em curso no Congresso Nacional. (Montagem de fotos da Agência Brasil)