JOANI TEIXEIRA |  Jornalista

O Natal se aproxima. A festa precisa ser preparada.

Não são suficientes alguns arranjos.

Nosso coração deve representar uma gruta, pobre, humilde mas acolhedora.

Não se pode repetir o acontecido em Belém, onde não havia lugar para o recém nascido Jesus.

Essa comemoração tem que acontecer na vida de cada um, na família.

Onde houver amor, partilha, capacidade de perdoar e de pedir perdão, ali já é Natal.

Os presentes, dados e recebidos, são sinais da festa. Mas não podemos esquecer o aniversariante.

O anúncio dos anjos ainda continuam sendo válido: “Paz na terra aos homens que Ele ama”.

Não esqueçam também que na montagem do Presépio, deve ser colocado o burro e o boi, quanto ao significado, perguntem ao padre de sua igreja.

Para meditar:
‘Nenhum lar é totalmente feliz, se a mãe está ausente”. (sabedoria popular)