O médico do Hospital Alberto Einstein, Antonio Luiz Macedo, que já operou o presidente eleito, Jair Bolsonaro, por duas vezes depois que ele sofreu o atentado em Juiz de Fora ainda não definiu com o paciente a data da nova cirurgia a que ele terá que ser submetido para a reconstrução final do trânsito intestinal e para livrá-lo de vez da bolsa de colostomia, que ainda carrega em função das intervenções anteriores. Isso só poderá acontecer depois do dia 12, segunda-feira. No entanto o presidente poderá optar por realizar esta nova intervenção já como presidente, depois da posse.

Nestas últimas semanas o médico garantiu que os exames de Bolsonaro foram muito satisfatórios e ele se recuperou bem das intervenções anteriores. No dia 12 ele completa três meses da primeira cirurgia, o que é tempo suficiente para estar apto a uma nova intervenção. “Até lá as condições da cavidade abdominal já serão ideias em termos de aderência do tecido e já possibilitará  a reconstrução do trânsito”.

Ele esclareceu também boatos que circularam de que Bolsonaro teria câncer, descartando qualquer possibilidade e reafirmando que o presidente goza de perfeita saúde, pois sempre foi um atleta e o novo procedimento será rápido e fácil. Ele acredita que em dez dias Bolsonaro já estará apto para suas atividades normais e retorno à rotina. Seus cuidados serão apenas, durante a fase recuperatória para que não faça grandes esforços físicos e não erga pesos, o que poderia prejudicar sua recuperação. No mais, garante que com esta nova intervenção o presidente estará pronto para suas atividades corriqueiras.