O general Hamilton Mourão, vice-presidente de Bolsonaro, voltou a se manifestar e desta vez adiantou um desejo que pode ser uma inconfidência: apoiou o senador Alvaro Dias (PODE-PR) como candidato a presidência do Senado. Mourão afirmou que gostaria de vê-lo como presidente do Senado, ou como líder do governo.

A manifestação foi na semana passada após a diplomação de Mourão, em São Paulo, num jantar, organizado pelo presidente do PRTB, Levy Fidelix, em homenagem a Mourão. Alvaro Dias sentou-se ao lado do general.

Bolsonaro procura um bom adversário à candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL), aliado de Lula, que fez campanha para Fernando Haddad (PT) na eleição presidencial.

Alvaro Dias, derrotado na disputa pela Presidência, busca apoio para viabilizar uma candidatura do Podemos à mesa do Senado. Lembre-se que Alvaro Dias foi entusiasta da indicação de Sérgio Moro, desde a campanha eleitoral.

Mas a aproximação de Levy com Mourão tem irritado Bolsonaro. Quando foi internado depois da facada em Juiz de Fora, Levy teria sido indelicado com a mulher de Bolsonaro, Michele, ao ser vetado numa tentativa de visitá-lo.