O general Hamilton Mourão não se importa com as críticas a sua atitude de até discordar em alguns pontos do governo. “Enquanto não houver uma posição oficial, eu emito opinião. Mas a partir do momento em que o presidente tome decisão sobre determinado tema, a posição passará a ser minha e vou defendê-la com unhas e dentes”, destacou o general.

O vice tem demonstrado liberdade de opinião e até diverge do presidente Jair Bolsonaro. Questões como aborto, saúde pública e até sobre a tendência religiosa do presidente. Ele tem sabido também se comportar nos revezes, chegando a ironizar, com bom humor, sobre suas próprias derrotas, como foi no cargo da lei do Acesso à Informação, que foi um fracasso no Congresso, ao brincar “eu perdi, o Congresso não gosta de mim… perdeu playboy”, comentou, com muito bom humor.

Numa entrevista à Rádio Bandeirantes, sobre a derrota do governo na Câmara, classificou o comportamento parlamentar como um recado para o governo. O vice-presidente também acha que dar entrevistas é dever das autoridades, até para evitar o que chama de “ilações”. Ele chegou a dizer que “nas divergências nos completamos”, referindo-se ao Presidente. E tem sido bem visto pelos jornalistas, ao contrário de Jair Bolsonaro, que sempre polemiza e se acha perseguido pela imprensa, até quando escolhe a quem quer dar entrevistas.