O ex-juiz Sergio Moro, o homem da Lava Jato, que vai assumir o superministério da Justiça da gestão de Jair Bolsonaro, virou conselheiro dos seus companheiros do futuro governo.

Ontem, durante reunião com os ministros ele deu conselhos aos futuros colegas de governo. Conhecedor do assunto, fez várias orientações sobre corrupção.

Inclusive ele apresentou o “caminho das pedras”, por onde a Lava Jato descobriu o superfaturamento de contratos na Petrobras e recomendou atenção máxima não só às pontas, mas às entranhas de cada um dos órgãos.

Moro sabe que o poder corrompe e então resolveu deixar todo mundo muito bem avisado do que pode acontecer para quem sair da linha. Aliás, a linha de Bolsonaro é tênue e já esbarra nos deslizes do seu ex-assessor, o PM, Fabrício Queiroz.

Opositores já comentaram que Moro poderia passar um final de semana com os filhos do presidente eleito, inclusive lembrando que a língua solta não é algo que contribua para a honestidade.