Aos quase 70 de idade Mário Alberto Campos de Morais Prata, mineiro de Uberaba é um escritor, dramaturgo e jornalista brasileiro. Aos dez anos de idade já escrevia, no interior de São Paulo “numa velha Remington no laboratório de meu pai (…) crônicas horríveis, geralmente pregando a liberdade e duvidando da existência de Deus”. Cedo na vida, transformou-se no redator do jornalzinho da escola. Vizinho do jornal A Gazeta de Lins, com 14 anos começou a escrever a coluna social com o pseudônimo Franco Abbiazzi.

Lia de tudo, principalmente Cruzeiro e Manchete, as revistas da época. Tanto que ganhou influência dos famosos Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Henrique Pongetti, Rubem Braga, Millôr Fernandes e Stanislaw Ponte Preta, que escreviam para essas revistas.

Morou dois anos em Portugal e criou o livro Schifaizfavoire, espécie de dicionário do português falado pelos portugueses.

Ficou famoso como escritor de telenovelas. Seu maior sucesso foi a novela global “Estúpido Cupido”, de 1976. Seu último folhetim foi “Bang Bang”, em 2005, em parceria com Carlos Lombardi. Após o fracasso desta abandonou a careira de telenovelista.

 

 

AMOR
Amor,
é quando a paixão
não tem compromisso marcado.Não.
Amor é um exagero… Também não.
Um dilúvio, um mundaréu,
uma insanidade, um destempero,
um despropósito, um descontrole,
uma necessidade, um desapego?
Talvez porque não tenha sentido,
talvez porque não tenha explicação,
esse negócio de amor…
Não sei explicar!

Mario Prata