Opinião – Osni Gomes – 

Antigamente era uma vez ou outra. Nos últimos tempos é constante e principalmente nos horários mais inoportunos, especialmente em dias de descanso, na madrugada e em locais inconvenientes.
O ronco estridente de motocicletas ecoa para cidade sem qualquer providência da fiscalização. Domingo passado estava com amigos num restaurante, quando repentinamente, na rua ao lado, um desses motoqueiros passou à toda. As crianças de colo que estavam no local ou começaram a chorar com o tremendo susto ou ficavam apavoradas com o exagero.
Nada contra os motoqueiros e aos que tem possibilidades de andar em possantes máquinas. Mas tudo que extrapola e perturba a paz alheia merece ser fiscalizada. Aí entra o policiamento de trânsito que precisa estar atento a potência e a abertura dos escapamentos desses veículos. Eu não entendo da legislação apropriada, sobre os direitos do cidadão nestes casos, mas tenho bom senso e não gosto, como muita gente de ser constantemente acordado de madrugada, ser perturbado no interior de minha residência por sons estridentes e muito menos que crianças de colo vão ao colapso pelo prazer idiota de um motoqueiro qualquer de acelerar e cantar motores para provar o seu potencial.
Penso que oficinas que propiciam a abertura das máquinas e até mesmo fabricantes precisam ser fiscalizados e punidos duramente por não colocar no mercado máquinas com silenciosos. E quem “batiza”, ou “incrementa” a sua motocicleta também mereça prisão do veículo e punição de tempos, sem poder pilotar.
Talvez esteja exagerando, mas entendo que esse produto é nocivo para a sociedade e não pode cantar seu som estridente tão impunemente. Aqui vai um apelo aos senhores parlamentares, vereadores e autoridades públicas de fiscalização do trânsito para que tomem providências. Achá-los é muito fácil. Basta ter o ouvido em condições normais para escutar o descalabro de suas irritantes arrancadas e aceleradas em ritmo frenético.
As pistas de corridas, as competições de arranque e os locais próprios para esse tipo de malucos das motocicletas existem. Então que exerçam ali todo o direito de roncar e se exibir diante de quem gosta desse tipo de barulho. As ruas da cidade e a nossa população não merece tamanhas estripulias desses irresponsáveis.
Não é uma reclamação de velho, mas de pessoa de bom senso e que apresenta as razões racionais para um problema de fácil equacionamento. E que todos possamos viver em sociedade e em paz.