O futuro superministro Sérgio Moro anunciou hoje mais dois nomes que vão compor a sua equipe de trabalho no governo Bolsonaro.

Ele chamou para o Conselho de Controle de Atividades Financeiras – Coaf, Roberto Leonel, o auditor chefe da área de inteligência da Receita Federal.

Moro confirmou também o nome do procurador da Fazenda Nacional, Luiz Roberto Beggiora, que comandará a Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas – Senad.

Outro nome que também se integrará a equipe de Sérgio Moro é de Marcio Anselmo, oriundo da Lava Jato e que trabalhou com ele logo no início da Operação, constituindo-se em nome fundamental para o sucesso da ação.

Eis os nomes que farão parte do quadro de auxiliares de Sérgio Moro:
Maurício Valeixo – Diretor Geral
Luiz Pontel de Souza – Secretário Executivo
Rosalvo Ferreira – Departamento Penitenciário Nacional
Érika Marena – Chefe do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação
Roberto Leonel – Conselho de Controle de Atividades Financeiras
Luiz Roberto Beggiora – Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas

O objetivo central de Moro será o combate à lavagem de dinheiro, tanto para crimes de corrupção como para tráfico de drogas. Quer também a integração entre policiais de todo o Brasil. Nos bastidores da equipe de transição, Moro diz que dará prioridade para as principais bandeiras da campanha de Bolsonaro: combate à corrupção e a redução dos números de violência no Brasil.