Licença maternidade e licença paternidade será mais uma das benesses que os deputadas e deputados do Paraná poderão contar se aprovada Proposta de Emenda à Constituição apresentada pela Comissão Executiva da Assembleia Legislativa do Paraná.
Ela prevê licença em razão do nascimento ou adoção de filho. As regras serão iguais a dos servidores públicos.
Pela proposta apresentada, as mães deputadas terão o direito à licença de 180 dias corridos a partir da 36ª semana de gestação, do parto ou ainda da formalização da adoção. Já os deputados pais poderão usufruir de oito dias de afastamento.
O texto ainda prevê a convocação de suplente, caso a licença da deputada seja superior a 120 dias.
A PEC precisa passar pela avaliação da Comissão de Constituição e Justiça antes de ser publicada em Diário Oficial. A partir de então é formada uma Comissão Especial para emissão de parecer sobre a proposta. Só então o texto vai a votação em Plenário, onde precisa mínimo de 33 votos pela aprovação.
Coincidência ou não, há notícia de que a deputada Maria Vitória, que foi reeleita, está grávida.