Sem um porta-voz e confiando na sua própria habilidade nas redes sociais e evitando o contato com alguns órgãos de imprensa, o presidente eleito Jair Bolsonaro se isola nas redes sociais e desautoriza que seus principais futuros auxiliares façam revelações.

Num texto publicado por ele próprio no Twitter no último final de semana, Bolsonaro “desautorizou” informações que circularam pela imprensa de que sua equipe estuda a criação de impostos.

“Desautorizo informações prestadas junto a mídia por qualquer grupo intitulado ‘equipe de Bolsonaro’ especulando sobre os mais variados assuntos, tais como CPMF, previdência, etc.”, afirmou Bolsonaro.

A primeira divulgação do assunto foi do jornal carioca O Globo, informando que a equipe econômica de Bolsonaro estaria criando um imposto nas características da antiga CPMF.

O objetivo seria substituir a contribuição ao INSS que as empresas recolhem sobre os salários e, assim, fomentar a geração de empregos.

Pelo que parece a gestão Bolsonaro será extremamente arredia as informações de imprensa e enquanto não estabelecer um sistema mais eficiente de divulgar seus temas e decisões, os brasileiros ficarão na eterna dependência das redes sociais, onde o risco de “fake news” continua sendo uma grande marca.