Começou a bolsa de apostas em Brasília sobre a corda bamba nos primeiros e segundos escalões do governo federal. Primeiro caiu o presidente Alex Carreiro, da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex Brasil.  O presidente reuniu-se com o indicado pelo chanceler Ernesto Araújo, o embaixador Mário Vilalva (na foto). A demissão de Carreiro havia sido anunciada por Araújo na quarta-feira, mas o presidente da Apex recusou a demissão e seguiu trabalhando normalmente nesta quinta. Não teve jeito. Ele não sabe falar inglês. E isso foi fatal, segundo a notícia oficial: olho da rua.

Neste final de semana uma nova guinada no mundo do “pé na bunda”. Desta vez o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, exonerou, Rogério Fernando Lot, que era o chefe de gabinete do Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação – FNDE e mais nove servidores do gabinete. Tudo por causa da grande trapalhada no edital para compra de livros didáticos.

Mas a guilhotina de Bolsonaro anda afiada. Durante a semana já se falou também que a ministra Damares Alves estaria com a cabeça à prêmio por suas trapalhadas em declarações e pelo rompimento com a Teoria da Evolução. Ela está muito cotada para ser a primeira ministra e a primeira do primeiro escalão a sair pela porta dos fundos do recém criado Ministério das Mulheres, Família e Direitos Humanos.

Na Bolsa de Apostas de Brasília a fila é grande. Muita gente está arriscando os nomes. Você tem algum prognóstico? Quem será o próximo ou próxima?