O Grêmio quer a reversão dos pontos de sua derrota para o River Plate e vai a julgamento hoje ao meio dia (horário de Brasília) na Conmebol, em Luque, no Paraguai.

O Grêmio alega descumprimento da suspensão do técnico do River, Marcelo Gallardo, que entrou nos vestiários do time no intervalo do jogo do meio da semana, em Porto Alegre.

O artigo 76 do Código Disciplinar da Conmebol afirma que ele poderia acompanhar a partida apenas das arquibancadas e não acessar “o vestiário, túnel, banco de reservas ou área técnica antes nem durante a partida, nem poderá por nenhum meio comunicar-se com sua equipe”.

Porém, Gallardo foi ao vestiário do River no intervalo do jogo e também comunicou-se via rádio com seu auxiliar de campo, Matías Biscaya.
Agora, no tapetão, o time gaúcho espera a reversão do resultado e o direito de fazer a final da Libertadores deste ano contra o Boca Juniors.

A decisão será do Tribunal Disciplinar, órgão autônomo da entidade máxima do futebol sul-americano composta por um paraguaio, um venezuelano e um chileno. São eles que decidem sobre o pedido do Grêmio. O Presidente do Tricolor, Romildo Bolzan (foto), espera vitória neste julgamento.