Mesmo com o relaxo de muitos pais que não levam seus filhos para a vacinação, o quadro de poliomielite está cada vez mais escasso no mundo.

Se não houvesse um grande esforço para acabar com a doença o mundo teria hoje perto de 17 milhões de pessoas sofrendo com as sequelas da paralisia infantil.

Os dados são da Organização Mundial da Saúde – OMS, que apontam: Em 1988 a poliomielite era endêmica em 125 países. Hoje apenas três ainda sofrem com a doença: Nigéria, Paquistão e Afeganistão.

“Erradicar a pólio será uma das maiores conquistas da história da humanidade”, destacou a OMS, em sua página oficial pelo twitter. E a entidade faz a cobrança: “Não podemos parar agora, vamos terminar o trabalho. Não existe cura para a pólio, mas as vacinas podem proteger por toda a vida.”

O Ministério da Saúde adverte que a poliomielite é uma doença contagiosa aguda, causada pelo poli vírus. Ela infecta crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou secreções eliminadas pela boca das pessoas infectadas. Os casos mais graves, quando ocorrem as paralisias musculares, os membros inferiores da pessoa são os mais atingidos.