Entra dezembro e a bandeira tarifária das contas de energia elétrica começa a ser avaliada em verde. Isso significa que o custo extra para os consumidores não será computado. Desde maio passado as práticas eram de bandeiras amarelas ou vermelhas.

A Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, informa que os reservatórios ainda apresentam níveis reduzidos. Mas a expectativa é a de que a Primavera chuvosa continue aumentando o nível de produção de energia pelas hidrelétricas e recuperando o fator de risco hidrológico – GSF, que impulsionam a queda no Preço de Liquidação de Diferenças – PLD. O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira tarifária a ser acionada.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.

A Aneel alerta que, mesmo com a bandeira verde, é importante manter as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício de energia elétrica.