Texto do jornalista Douglas de Souza, que foi meu colega de O Estado do Paraná. Um dos notáveis da nossa época.

Tenho 53 anos e só agora descobri, estarrecido, que eu sou do mal! O Brasil de hoje me jogou na cara que o que sempre defendi nunca foi do bem. E o que é pior, trouxe os meus filhos por este mesmo caminho. Ah, meu Deus, se o tempo pudesse voltar! Poderia refazer tudo que fiz de errado. Em vez dos perigosos, inúteis e perniciosos livros que dava a eles ainda muito pequenininhos, poderia ter presenteado com algo que os preparassem de verdade para o futuro. Uma mamadeira em forma de revólver, uma espingarda de pressão. Assim, quando crescessem viveriam num mundo seguro.
Mas não, na minha tola forma de ver o mundo até então, dei livros, muitos livros. Porquê meu Deus, porquê? Hoje pago por esse mal: eles aprenderam a pensar, o que atualmente além de mal visto é perigoso. Um filho e uma filha já se formaram na UFPR – ela está concluindo mestrado. E a outra filha, já formada na Faculdade Espírita, faz atualmente outro curso na UFPR. E para que tudo isso? Não estão preparados para a vida…Ah!, se pensassem menos e soubessem manejar armas! Poderiam hoje até chegar à Presidência da República!
Mas não posso assumir toda a culpa. A minha mãe, que tristemente vejo hoje que também era do mal – foi quem começou com tudo isso em minha família. Trazia livros todos dias para nós. Professora alfabetizadora da rede estadual, ela passou esse mal para mais de 1.200 crianças que alfabetizou em 40 anos de trabalho. E não contente, fez o mesmo mal aos oito filhos – hoje todos formados, mas tristemente despreparados para a vida atual.
No último domingo, tive a certeza que um filho é realmente do mal – o que se formou em direito há dois anos. Não me atendia ao celular. Depois me explicou que estava ocupado – vejam só! -porque estava participando de um mutirão para construir uma casa para uma família miserável na favela do Parolim – um bairro de Curitiba. Ele foi aliciado por um movimento nacional apartidário chamado Teto, que reúne jovens do mal para arrecadar fundos e, sem qualquer ajuda oficial, construir casas para seres do mal.
Não me contive: Filho! Você se envolvendo com sem teto? Não viu o futuro presidente dizer que esse pessoal é todo criminoso? Que logo que assuma o nosso primeiro governo do bem todos serão escorraçados? Mas lembrei que parte da culpa é minha e de sua mãe. Se não tivesse essa formação, poderia estar nas ruas com os jovens do bem, que saem em bando gritando para gays e travestis que é bom já ir se acostumando com o que virá. Estes sim estão fazendo um bom trabalho para o novo Brasil: preparando as pessoas para o futuro!
E, agora que abri os olhos, vejo que em todas as áreas estou do lado do mal! Uma das maiores decepções foi descobrir que não sou cristão! Obviamente todos os cristãos são bons. Acreditava até então – veja que absurdo – que até o arcebispo de São Paulo Dom Paulo Evaristo Arns – aquele que escreveu o livro Tortura nunca mais – fosse cristão! Mas não era. Vejo hoje quem são os verdadeiros cristãos. E não é difícil saber: são todos os padres e pastores que já se alinharam ao novo governo do bem, que irá extirpar o Brasil de todos os seguidores do demo. Glória a Deus, Malafaia, Edir Macedo e cia! Estão mostrando quem são os cristãos de verdade neste País! Um exemplo ao próprio Papa Francisco, que certamente não é cristão.
Como disse, não tenho como me defender. Admito que sou do mal mesmo e só ando com pessoas desse tipo. Entre os artistas, estou do lado do Caetano, Pedro Cardoso, Renato Russo, Cazuza, Gil, Letícia Sabatella, Patrícia Pillar, Martinho da vila,Marisa Monte…e não do lado da Regina Duarte, Alexandre Frota, Gustavo Lima, Latino, Zezé de Camargo, Roger, Lobão, Ovelha e Danilo Gentil. Entre os filósofos estou com Mário Sérgio Cortella e não com o legítimo cristão Olavo de Carvalho; entre os jornalistas, estou do lado do Juca Kfouri e não da Joice Hasselmann…
É, não tem jeito! Sou do mal com certeza! E você, de quê lado está?