Interessante destacar as posições individuais dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o destino do julgamento de processos da Operação Lava Jato que envolvam crimes eleitorais. É mais interessante ainda mostrar como é que os atuais ministros chegaram aos seus cargos e quais foram os presidentes da República que os indicaram. Vamos lá:

Votaram a favor da atribuição da Justiça Eleitoral para julgar os crimes comuns, os ministros:

  • Marco Aurélio Mello (indicado por Collor),
  • Alexandre de Moraes (indicado por Temer),
  • Ricardo Lewandowski (indicado por Lula),
  • Gilmar Mendes (indicado por FHC),
  • Celso de Mello (indicado por Sarney) e
  • Dias Toffoli (indicado por Lula).

Votaram contra a Justiça Eleitoral julgar os crimes comuns, os ministros:

  • Edson Fachin (indicado por Dilma),
  • Luís Roberto Barroso (indicado por Dilma),
  • Rosa Weber (indicada por Dilma),
  • Luiz Fux (indicado por Dilma) e
  • Cármen Lúcia (indicada por Lula)