O líder pedetista, o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, fez duras críticas ao governo Bolsonaro esta semana. Classificou o presidente de “adolescente tuiteiro” e considerou que o seu governo é uma “confusão”

“Eu prometi que só iria fazer crítica depois dos 100 primeiros dias de governo, mas está impossível porque tem este bando de boçal que está brincando de governar”, disse. “Botaram um garoto de 13 anos, um adolescente tuiteiro para governar o País.”

A manifestação foi durante um encontro do Instituto para Reforma das Relações entre o Estado e Empresa, em São Paulo

O ex-candidato a presidente disse que se preocupa com a “precocidade da confusão” do governo. E criticou também a anunciada transferência da embaixada brasileira em Israel, de Tel-Aviv para Jerusalém. “Que dia que alguém pediu a gente (os políticos) para mudar a embaixada?”, afirmou.

Ciro deseja que os petistas integrem a comissão especial que vai tratar da reforma da Previdência. “Nós temos de ter lá quem ouça os movimentos sociais, que tire a reforma de Brasília. Temos de juntar o máximo de votos que puder para conter danos”, afirmou.

Questionado sobre Fernando Haddad, declarou: “Ele é um homem de bem”.

E destacou o exemplo do vereador Eduardo Suplicy, presente no evento, como um “homem honesto, nunca presente em nenhuma destas listas de corrupção”, Ciro disse que ao lado dele estão, entre outros, os ex-governadores gaúchos Olívio Dutra e Tarso Genro.