Assim que for eleito presidente do Brasil o candidato Jair Bolsonaro terá que alinhavar a sua representação no Congresso Nacional. Mesmo que tenha feito uma das maiores bancadas, com o seu PSL, ainda vai depender de outros segmentos para ter suas pretensões de governança bem-sucedidas.

Os indicativos vindos de Brasília apontam que ter um representante no comando da Câmara e do Senado são fundamentais. Assim a posta em Rodrigo Maia, do DEM na presidência da Câmara seria uma das tendências, até porque o estímulo a candidatura do filho, Eduardo Bolsonaro, eleito com milhão de votos não seria a melhor escolha.

Quando o assunto é política partidária, os grupos são muito fortes e derrubam qualquer pretensão dentro da atual conjuntura política nacional.

Bolsonaro terá que enquadrar seu partido, o PSL, que já se anima para comandar a Casa, diante da perspectiva de fazer a maior bancada com a adesão de deputados de outros partidos.