O presidente Bolsonaro interna-se hoje no Hospital Albert Einstein e só sai dez dias depois do procedimento. Neste tempo em que ficar internado, recuperando-se da retirada da bolsa de colostomia, vai despachar normalmente em seu quarto de hospital.

Mas o vice-presidente Hamilton Mourão assume o cargo assim que a cirurgia começar, às 6h de segunda-feira, até 48 horas depois do término. É determinação da equipe médica repouso absoluto durante este tempo, antes de Bolsonaro voltar ao trabalho.

Bolsonaro carrega a bolsa desde que fez a cirurgia para se recuperar de uma facada, em setembro do ano passado, na cidade mineira de Juiz de Fora, durante a campanha eleitoral. Apesar do Planalto já ter preparado a estrutura de um gabinete presidencial alternativo na unidade de saúde, onde o chefe do Executivo despachará e fará reuniões, o vice-presidente Hamilton Mourão assumirá o cargo por dois dias na próxima semana.

A retirada da bolsa, de acordo com um dos profissionais que auxiliam o cirurgião Antonio Luiz Macedo, deve durar entre três e quatro horas. A previsão inicial do Planalto era de que Mourão assumisse a gestão apenas durante o procedimento.

“Nesse interregno — cirurgia e recuperação — para o qual os médicos indicam a necessidade de restrito descanso de 48 horas, o vice assume como presidente. Não é apenas no período da cirurgia, mas, sim, se alongando por mais 48 horas”, afirmou o porta-voz. A previsão de retorno de Bolsonaro à capital federal é de 10 dias após o procedimento.