Não há mais dúvida. As pesquisas eleitorais, mesmo com todo descrédito imposto pelas redes sociais, foram precisas e Bolsonaro acaba de ser eleto novo presidente do Brasil.

Os números de boca de urna são confirmados e a diferença não varia muito além de 56% a 44% dos votos válidos.

Também não houve tentativa de morte e nem fraude eleitoral. O Brasil comportou-se dignamente no dia da eleição, ao contrário do que ocorreu durante todo o processo que antecipou o pleito, coroado pelo ódio e a discórdia entre os dois candidatos.

Também estão praticamente definidos os nomes do novos governadores, nos 14 estados que restavam e a lista segue, com improvável modificação pelo que resta na apuração:

AMAPÁ – Waldez Góes (PDT)
AMAZONAS – Wilson Lima (PSC)
DISTRITO FEDERAL – Ibaneis Rocha (MDB)
MATO GROSSO DO SUL – Reinaldo Azambuja (PSDB)
MINAS GERAIS – Romeu Zema (Novo)
PARÁ – Helder Barbalho (MDB)
RIO DE JANEIRO – Wilson Witzel (PSC)
RIO GRANDE DO NORTE – Fátima Bezerra (PT)
RIO GRANDE DO SUL – Eduardo Leite (PSDB)
RONDÔNIA – Coronel Marcos Rocha (PSL)
RORAIMA – Antonio Denarium (PSL)
SANTA CATARINA – Carlos Moisés da Silva (PSL)
SÃO PAULO – João Dória (PSDB)
SERGIPE – Belivaldo Chagas (PSD)

Governadores eleitos no primeiro turno

ACRE – Gladson Cameli (PP)
ALAGOAS – Renan Filho (MDB)
BAHIA – Rui Costa (PT)
CEARÁ – Camilo Santana (PT)
ESPÍRITO SANTO – Renato Casagrande (PSB)
GOIÁS- Ronaldo Caiado (DEM)
MARANHÃO – Flávio Dino (PC do B)
MATO GROSSO – Mauro Mendes (DEM)
PARAÍBA – João Azevêdo (PSB)
PARANÁ- Ratinho Junior (PSD)
PERNAMBUCO – Paulo Câmara (PSB)
PIAUÍ – Wellington Dias (PT)
TOCANTINS – Mauro Carlesse (PHS)