Tudo indica que não há mais acerto entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Agora Maia veio a público e disse que Bolsonaro foi contra a sua reeleição na Câmara. O estopim teria sido uma publicação do filho do presidente, Carlos Bolsonaro, apoiando o ministro Sérgio Moro, contra Maia, no recente embate entre ambos.

Maia já disse que “não move mais nenhuma palha” em favor da Reforma da Previdência. E Bolsonaro de que “já cumpri o meu papel e cabe agora ao Legislativo fazer o seu, em favor do Brasil”.

Bolsonaro chegou a dizer que vai procurá-lo, como se fosse uma “namorada que quer ir embora”.

No sábado, em duas entrevistas aos jornais O Estado de S. Paulo e O Globo, Rodrigo Maia disparou sua artilharia contra o Palácio do Planalto e explicitou os motivos de sua rebelião, que se fez sentir ontem no mercado financeiro, com a perda de confiança na aprovação da reforma.

Na avaliação do presidente da Câmara, o governo é um “deserto” de ideias, não tem projeto para o país, delega a ele uma tarefa que deveria ser sua – a de conseguir votos para aprovação da proposta –, deixando sobre suas costas todo o ônus de uma votação impopular, mostra-se incompetente por não construir uma base parlamentar. Esse é o mesmo governo que, segundo ele, trabalhou contra sua reeleição ao comando da Casa, em 1º de fevereiro.