Entre o que pensa o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes e o presidente eleito, Jair Bolsonaro sobre a reforma da Previdência, há “desconfiança”. Foi o que revelou o futuro presidente sobre a substituição do atual modelo de repartição pelo de capitalização, uma espécie de poupança individual, para os futuros contribuintes.

A informação foi dada ontem pelo presidente em entrevista a TV Band: “não está batido o martelo, tenho desconfiança. Sou obrigado a desconfiar para buscar uma maneira de apresentar o projeto. Tenho responsabilidade no tocante a isso aí. Quem vai garantir que essa nova Previdência dará certo? Quem vai pagar? Hoje em dia, mal ou bem, tem o Tesouro, que tem responsabilidade. Você fazendo acertos de forma gradual, atinge o mesmo objetivo sem levar pânico à sociedade”.

Hoje, na sua primeira atividade em Brasília após a eleição, Bolsonaro participa de sessão solene na Câmara em homenagem aos 30 anos da Constituição Federal. Lá estarão os presidentes dos três Poderes. Bolsonaro vai conhecer depois o gabinete que ocupará no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde está instalada sua equipe de transição.