Durante encontro com empresários chilenos em sua última viagem a Santiago do Chile, o presidente Bolsonaro considerou que o Brasil tem hoje “a mão-de-obra entre as mais caras do mundo” e que precisa beirar a informalidade.

Ele falou também a ideologização nas escolas e na imprensa. “Nos preocupa também, começou no governo Fernando Henrique e se agravou nos governos Lula e Dilma a questão ideológica que tomou conta das universidades e inclusive das escolas de ensino fundamental e também da grande mídia. É difícil encontrar um jornalista da grande imprensa que possa discutir conosco de igual para igual. Sempre tem um viés de esquerda nas discussões e parece que eles não querem enxergar ou foram doutrinados demais”, afirmou.

Depois do café com empresários, Bolsonaro seguiu para o Palácio La Moneda onde participou de uma reunião bilateral com o presidente com o presidente do Chile, Sebástian Piñera.