Alimentos e transporte foram os vilões inflacionários do mês de Outubro. Eles empurraram 0,45% os índices, o maior do mês desde 2015. Mas os números estão abaixo da expectativa, de 0,56%.
Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA teve recuo de 0,03 ponto percentual. Nos últimos doze meses houve aumento de 4,56%, quando a expectativa era de 4,67%
Alimentos e transporte cresceram e significaram 71% da inflação de Outubro.
O gerente de pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Fernando Gonçalves aponta que “só os combustíveis, 2,44%, quase um terço do IPCA desse mês”.
Outros grupos tiveram expressão como habitação (0,14%, energia elétrica (0,12%) e o gás encanado (0,65%).
O IPCA, que é calculado desde 1980, envolve famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos, em dez regiões brasileiras.