A promoção oportuna do funcionário do Banco do Brasil, Antônio Hamilton Rossel Mourão, filho do vice-presidente Hamilton Mourão continua rendendo noticiário. Hoje a colunista da Folha de S. Paulo, Mônica Bérgamo voltou ao assunto.

“Uma ação popular pede que a Justiça barre a nomeação do filho do vice-presidente Hamilton Mourão, à assessoria especial do presidente do Banco do Brasil (BB). A ação, protocolada na terça (15), será julgada pela 7ª Vara da Fazenda Pública do DF.

Com a promoção, o filho do vice passará a ganhar R$ 36,3 mil, o triplo de seu atual salário.

O documento alega que existe “correlação direta entre a nomeação” com ascensão de Mourão ao cargo de vice e afirma que houve nepotismo, já que o vice “exerce incontestável ascendência sobre a presidência do Banco do Brasil”.

O BB afirma que a “nomeação atende aos critérios previstos na legislação e nas normas internas do banco”.  É o que publica hoje a Folha, na coluna da Mônica Bergamo.